Páginas

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Uma rosa


Fui na novena de Santa Rita de Cássia no seu dia, na sua capela da Paróquia São Mateus, estava muito recente o que aconteceu com a Alice  e eu chorei muito porque eu ia lá na missa todos os domingos de manhã com ela antes de nascer. No final, quando todos estavam saindo, eu vi no corredor uma mulher que me chamou atenção  as suas rosas na mão de uma cor diferente, tipo um salmão bem forte e o seu sorriso que me fez pensar na minha ignorância que pelo menos tinha alguém feliz. Mal sabia que aquele sorriso era para mim, ela se aproximou, me abraçou  e pediu a interseção da Mãe pelo meu sofrimento e me deu uma rosa. Essa rosa durou muitos dias para que eu pudesse recordar aquele momento.Em seguida vieram alguns amigos me cumprimentar, e esse mulher alta de cabelos negros e dentes brancos me deixou. Perguntei depois para esses amigos se viram essa mulher, porque eu queria saber quem era, pois se a conhecia não me recordava e ninguém viu. Minha mãe na sua simplicidade me disse, foi Santa Rita de Cássia. Nas próximas novenas eu procurei por essa mulher e não encontrei, até a última novena que veio uma mulher, perguntou como eu estava e me entregou uma rosinha vermelha de jardim pedindo para que eu não reparasse, também não me recordo quem seja e não sei se é a mesma mulher, parecia estar com o cabelo diferente, enfim eu não consigo me lembrar. A vida é como uma rosa, nós passamos pelos espinhos, nos machucamos, sentimos dor até chegar no perfume,  no macio de suas pétalas e depois voltamos para os espinhos de novo. Santa Rita de Cássia, rogai por todas as mães que perderam seus filhos assim como a Senhora, que tenham sua força para entregar seus filhos para Jesus e   suportar a dor, amém. 

Um comentário:

  1. É muito difícil ver posts assim, parabéns .

    nossoblogdemodaa.blogspot.com

    ResponderExcluir